Top Ad unit 728 × 90


Novidades

recent

Perfil 21: Amy Winehouse


Acha que já sabe tudo sobre Amy Winehouse? A Revista 21 dá-lhe a conhecer um pouco mais da vida de uma das mais emblemáticas cantoras do século XXI. 

Texto: Susana Veríssimo

Origens russas
É do conhecimento geral que Amy Winehouse nasceu a 14 de Setembro de 1983, em Londres, no seio de uma família judaica. Menos pessoas saberão, contudo, que da parte materna, a cantora descendia ainda de um vendedor de fruta russo, emigrado para Inglaterra no século XIX.

Raízes musicais
A sua família tinha uma forte ligação à música. O tio de Amy era trompetista profissional e o seu pai costumava cantar como amador. Amy cresceu, por isso, a ouvir clássicos de jazz, Sinatra, e outros que marcaram profundamente o seu gosto por este estilo.

Influências
Além do jazz, houve outros estilos musicais que a influenciaram. Amy apreciava particularmente Michael Jackson, Madonna, Salt’n’Pepa e TLC, considerando os dois últimos grupos especialmente «inspiradores e autênticos».

A primeira banda
Amy tinha apenas 10 anos quando formou com uma amiga a dupla de rap Sweet’n’Sour. Descrevia a banda como sendo «a pequena Salt’n’Pepa judaica».

A primeira guitarra
Depois de algum tempo a praticar às escondidas com a guitarra do irmão, Amy recebeu aos 13 anos a sua primeira guitarra. Aos 16 já a tocava como uma profissional.

Sonho de criança
Quando era criança, Amy Winehouse sonhava ser empregada de mesa e, tal como no filme American Graffiti, servir às mesas em patins.

Irreverência escolar
A cantora sempre foi conhecida pela sua irreverência e teimosia. Aos 12 anos, entrou para a Sylvia Young Theatre School, mas foi expulsa dois anos depois, por não se aplicar o suficiente e ter um piercing no nariz.

A primeira aparição televisiva
Junto com vários outros colegas de turma, Amy fez, aos 14 anos, uma aparição especial no programa de comédia The Fast Show. A personagem que interpretava chamava-se Titania.

A carreira chega aos 30
Amy Winehouse tinha como principal ambição fazer carreira no mundo da música, mas achava que só aos 30 anos assinaria contrato com uma produtora e lançaria o primeiro álbum.

Lésbicas e canários
Winehouse tinha por hábito escrever as próprias músicas, que por vezes tinham, contudo, temas no mínimo estranhos. Em «Stronger Than Me», Amy explora as relações que teve com pessoas do mesmo sexo, e «October Song» era uma homenagem cantada ao seu canário falecido.

O caminho para a fama
O talento de Amy foi inicialmente descoberto pela agência 19 Management através das demos que o seu namorado da altura, Tyler James, lhes enviou. A sua voz, considerada especial, com uma tonalidade autêntica de jazz e blues, fez com que a cantora fosse mantida em segredo, tentando afastá-la dos «tubarões» da indústria. Eventualmente, a Island Records ganhou a disputa e ofereceu-lhe um contrato. Amy tinha apenas 20 anos.

Amy vs. Frank
Em 2003, Winehouse lançou o seu álbum de estreia: Frank. O álbum chegou a platina na Grã-Bretanha, mas Amy reconheceu mais tarde que não gostava dos seus arranjos e tratamento de imagem, classificando-o mesmo como «insuportável».

O ano dos Grammy
Back to Black foi o segundo - e último - álbum de estúdio da cantora. Lançado em 2006, teve um enorme sucesso comercial, tornando-se o disco mais vendido de 2007. Deu ainda a vencer a Amy cinco das seis categorias para as quais havia sido nomeada nos Grammy 2008: Canção do Ano, Gravação do Ano, Artista Revelação, Melhor Álbum Pop e Melhor Cantora Pop. Para além de ser, na altura, a artista feminina com mais vitórias numa só noite, tornou-se também a única britânica com cinco Grammy.

Rehab instantâneo
«Rehab» é, ainda hoje, o single mais famoso da cantora, e tal como todos os seus temas, foi baseado nas suas vivências pessoais, particularmente no momento em que o agente a tentou convencer a entrar num programa de reabilitação para curar a adição a álcool. «Perguntei ao meu pai se ele achava que eu tinha mesmo de ir. Ele disse que não, mas que devia tentar de qualquer modo. Por isso fui... mas apenas durante 15 minutos. Entrei lá, disse "olá" e expliquei que bebia porque estava apaixonada e tinha estragado a minha relação. Depois fui-me embora», explicou a cantora.

Problemas respiratórios
Aqueles que não a conheciam pela voz, conheciam-na pelas polémicas. Especialmente pelo abuso de álcool e drogas. Em Junho de 2008, o pai da cantora anunciou que, como consequência dos vícios, Amy tinha um batimento cardíaco irregular e os seus pulmões funcionavam a apenas 70% da capacidade, pelo que estava em risco de morrer. Poucos dias depois, contudo, Amy foi fotografada com um ar despreocupado e um cigarro na boca.

Feitio tempestuoso
A relação de Amy com Blake Fielder-Civil foi tão famosa como tempestuosa. Os dois conheceram-se num bar e, passado algum tempo, casaram-se em Miami. No entanto, o casal separou-se por diversas vezes, para além de se envolver em inúmeros episódios de violência doméstica. Um dos mais curiosos verificou-se em 2006, quando Amy esmurrou um fã que alegadamente a criticou por ter casado com Blake. Quando o marido se aproximou para a tentar acalmar, Amy deu-lhe uma joelhada nos testículos.

Concerto de um só tema
Álcool, drogas, problemas amorosos e bulimia fizeram com que Amy Winehouse tivesse prestações absolutamente deploráveis ao vivo, entre as quais na única vez que pisou palcos portugueses, no Rock in Rio Lisboa, em 2008. Foi, contudo, um ano antes que a cantora fez o que muitos consideram ter sido o seu pior concerto de sempre. No G.A.Y. Club, de Londres, Amy conseguiu cantar um único tema antes de abandonar o palco, visivelmente de rastos.

Tatuagens
Um dos vícios menos falados de Winehouse eram as tatuagens. Entre outras, tinha num dos braços tatuadas as palavras «Never clip my wings» («Nunca me prendas as asas») e no outro o desenho de uma pin-up, uma ferradura e a expressão «Daddy’s Girl» («Menina do Papá»); no antebraço uma pena; na barriga as palavras «Hello Saylor» («Olá Marinheiro»); no rabo a Betty Boop; e no peito a expressão «Blake’s», que a indicava como «propriedade» do seu namorado Blake.

Desejo de normalidade
Em 2007, cansada da vida agitada que levava, revelou à imprensa que o seu maior desejo era ser uma simples mulher casada e com filhos, para se dedicar totalmente a eles e deixar a fama para trás.

Clube dos 27
Amy Winehouse foi encontrada morta na sua casa em Londres, no dia 23 de Julho de 2011. Tinha 27 anos, idade com que faleceram alguns dos maiores nomes da música de sempre, entre os quais Kurt Cobain, Jim Morrison, Janis Joplin e Jimi Hendrix, todos em condições algo misteriosas. A 8 de Janeiro de 2013, as autoridades britânicas confirmaram que a cantora morreu por excesso de álcool.

A música final
O corpo de Amy foi cremado, de acordo com os preceitos da religião judaica. A cerimónia fúnebre realizou-se a 26 de Julho de 2011 e foi acompanhada pelo tema «So Far Away», de Carole King.

>>
Perfil 21: Amy Winehouse Reviewed by Revista 21 on 00:30 Rating: 5

Sem comentários:

");
Todos os direitos reservados por Revista 21 © 2011 - 2015
Design por Sweetheme

Formulário de Contacto

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.